Bolachas de cenoura (vegan, sem glúten)

20 de junho de 2022


Ponha a mão no ar quem acha que cenouras ficam maravilhosas em sobremesas!
Eu cá adoro, e desde que recebi há uns meses um caixote imenso de cenouras, que não me sai da cabeça fazer bolachas com elas.
Como é costume comigo, as coisas tendem a arrastar-se e foi preciso a covid bater à porta para finalmente testar o que tinha em mente.


Queria umas bolachas vegan e sem glúten, daquelas crocantes  e com a cenoura a ser a estrela. Fiz várias versões e consegui aquilo que pretendia.
São bolachas simples, despretensiosas, sem cremes nem rodeios que guardamos no frasco e permanecem boas durante semanas.



A cenoura é a estrela mas pode juntar canela, casca de laranja ou de limão porque são sabores que a complementam na perfeição.
A receita é simples e caso queiram fazer algumas alterações deixo abaixo nas notas as sugestões.

Se em vez de bolachas preferirem uns biscoitos mais suaves, daqueles que nos confortam, então vejam esta receita aqui 





Bolachas de cenoura
(rende cerca de 28 bolachas)

100g de cenoura ralada
30g de óleo de coco derretido
30g de geleia de arroz
100g de farinha de aveia (sem glúten)
100g de farinha de amêndoas
60g de açúcar de coco
1 colher de chá de canela
raspa de 1 laranja (opcional)
1 pitada de gengibre em pó (opcional)
1 pita de sal fino

Numa tigela misture muito bem os ingredientes secos: as farinhas, as especiarias, o açúcar de coco e a raspa da laranja se estiver a usar.
Acrescente os restantes ingredientes: a cenoura ralada, a geleia e o óleo de coco.
Misture tudo até obter uma massa suave e homogénea. Deve despegar das paredes da tigela.
Leve ao frigorifico durante pelos menos 1 hora.
Pré-aqueça o forno a 170ºC ( sem ventoinha).
Retire a massa do frigorífico, estenda-a com o rolo da massa e corte as bolachas na forma que pretende.
Coloque-as num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve ao forno durante cerca de 20 minutos ou até começarem a ficar douradas nos bordos.
Retire, deixe arrefecer numa rede e guarde-as num frasco depois de frias.


NOTAS

- pode substituir o açúcar de coco por xilitol ou açúcar normal 
- a geleia de arroz pode ser substituída por geleia de agave, de tâmaras ou mel ( não vegan)
- use as especiarias que mais gostar ou se quiser não use nenhuma


Ninhos de coco e amêndoa (vegan, sem glúten)

12 de abril de 2022



Está mesmo aí à porta a época mais doce do ano e provavelmente uma das preferidas dos mais gulosos.
Este ano merecemos celebrar a Páscoa com tudo a que temos direito, já que as duas últimas foram bem mais tristes.
Assim, inspirada pelas lindas cores da primavera e pela beleza desta época, criei estes mini ninhos que além de serem uma fofura são também uma delícia que de certeza todos irão gostar.





Devo confessar que desde que criei esta receita já a fiz 4 vezes, e nem chegámos ainda à Pascoa! 
É realmente maravilhosa e muito simples de fazer apesar de aparentar o contrário.
A base destes ninhos é feita com flocos de coco tostados, ligados com manteiga de amêndoa e os ovinhos são apenas amêndoas com um banho de chocolate derretido. Claro que se não quiser uma versão tão saudável, pode decorar com amêndoas de compra, ficam ainda mais bonitos e coloridos.
Os ingredientes são simples e fáceis de encontrar e podem ser trocados por outros (veja em baixo nas notas).
Para facilitar a vida ainda podem ver o processo em vídeo.




Ninhos de coco e amêndoa (vegan e sem glúten)

(Rende 12 ninhos)


Para os ninhos:
80g de coco laminado
80g de manteiga de amêndoa/ amendoim/ caju
80g de geleia de arroz/ agave / mel
40g óleo de coco

Para decorar:
amêndoas qb
80g de chocolate 60% cacau
2 colheres de chá de óleo de coco


Pré-aqueça o forno a 180ºC e forre um tabuleiro com papel vegetal.
Espalhe o coco laminado numa camada uniforme e leve por 10-15 minutos até que fique crocante e levemente dourado. Volte a espalhar o coco com um garfo pelo menos uma vez no meio do tempo. Observe com cuidado para garantir que não queime. Transfira para uma tigela grande e com as mãos parta os flocos de forma grosseira.

Leve ao lume o óleo de coco, a manteiga de amêndoa e a geleia e deixe cozinhar até começar a ferver. Retire-se do lume.
Junte este preparado ainda quente ao coco laminado e misture tudo.

Num tabuleiro forrado com papel vegetal coloque os pedacinhos do preparado e dê a forma de ninhos ( ajuda fazer com as mãos).

Depois de feitos os ninhos, leve a derreter em banho maria ou no micro-ondas, o óleo de coco e o chocolate partido em pequenos pedaços. 
Decore os ninhos com este chocolate derretido.
Coloque as  amêndoas dentro do restante chocolate derretido (pense em 2 ou 3 por ninho) e depois de envolvidas no chocolate coloque-as sobre os ninhos.

Leve o tabuleiro com os ninhos ao frigorífico durante cerca de 4 horas.

Sirva e guarde os que sobrarem no frigorífico.


NOTAS:

- pode usar a manteiga de frutos secos que mais gostar
- os flocos de coco já podem ser comprados tostados se preferir.
- pode usar geleia de arroz, de agave, de coco, ou mel se preferir
- as amêndoas banhadas em chocolate podem ser omitidas ou se quiser usar amêndoas de compra

VEJA O VÌDEO





QUER MAIS RECEITAS PARA A PÀSCOA? VEJA ESTAS SUGESTÕES

pavlova vegan





Granola de trigo sarraceno

12 de março de 2022


Queridos leitores, preparem-se porque a louca das granolas está de volta!
Desta vez a estrela é o trigo sarraceno que dá a esta granola um sabor especial e uma crocância sem igual.
Para quem não está familiarizado com o trigo sarraceno, pode ficar descansado porque de trigo só tem mesmo o nome, de facto o trigo sarraceno nem é um cereal mas sim uma semente. Sendo assim, é livre  de glúten, podendo ser consumido por intolerantes a esta proteína.
Tem uma forma amorosa em forma de pirâmide e normalmente é consumido em farinha, tostado ou cozinhado ( muito usado nos países do leste da Europa).

      


Eu gosto imenso de trigo sarraceno, como se pode ver pela quantidade de receitas que já partilhei, quer no blogue quer nos meus livros. O seu sabor diferente, a sementes, dá um toque de personalidade aos pratos e além disso aumenta grandemente a qualidade nutricional dos mesmos.

Já apresentei aqui várias granolas diferentes, algumas bem "fora da caixa" mas curiosamente nunca tinha partilhado nenhuma com trigo sarraceno. Chegou a hora.
O processo é muito fácil, e como de costume, bastante adaptável. Vou dar uma fórmula básica mas que pode ser depois ajustada ao gosto de cada um.



Granola de trigo sarraceno

170g de trigo sarraceno
100g de flocos de aveia grossos (sem glúten)
150g de frutos secos / sementes
3 colheres de sopa de óleo de coco derretido
80g de geleia de arroz / agave / mel
1 colher de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de gengibre em pó

Comece por demolhar o trigo sarraceno durante pelo menos 4h.
Coe e descarte a água da demolha. Deixe escorrer bem para que o trigo sarraceno não leve demasiada água consigo. Se quiser pode secar com um pano limpo.
Ligue o forno a 160 ºC.
Numa tigela misture o trigo sarraceno, os flocos de aveia grossos, as sementes ou frutos secos, a canela e o gengibre.
Noutra tigela misture a geleia de arroz e o óleo de coco derretido.
Junte o conteúdo das duas tigelas e misture bem.
Espalhe o preparado num grande, forrado com papel vegetal e leve ao forno durante 20-30 minutos, mexendo de vez em quando com um garfo.
Quando a granola começar a ficar dourada, apague o forno e deixe a granola ficar lá dentro até ficar mais fria. Não se esqueça de ir mexendo a granola.
Retire, deixe arrefecer e solte a granola com as mãos.
Guarde num frasco depois de fria.


VEJAM O VIDEO DA RECEITA AQUI