24 de novembro de 2016

Mousse vegan de castanhas (sem açúcar, sem glúten)

Estou numa fase em que estou de "candeias às avessas" com a tecnologia. Resolvi partir a tampa do meu computador portátil , o outro computador pede urgentemente para ser reformado e apaga durante todas as tarefas mais exigentes, o tablet, que nunca foi bom, neste momento demora cerca de 1 minuto a abrir uma página da Internet, e o ar condicionado resolveu só fazer frio agora que as temperaturas desceram...
Resta-me respirar fundo...São fases certo?



Na verdade se olhar para a situação com outros olhos, se calhar até há coisas boas: sem computadores consigo aproveitar para organizar uns papéis que aqui estavam há meses , regressei ao meu interminável puzzle e sobretudo consigo deitar-me mais cedo!
Não ter ar condicionado...bem, a única coisa positiva, é que ponho a uso uma  série de mantas que ali estavam paradas no armário.


Porque mesmo durante as fases mais complicadas, o grande segredo para as ultrapassar de modo a que nos sejam menos penosas e nos afectem menos, é o ângulo de observação. Em todas estas fases, sim porque na vida nada dura para sempre, há sempre algo positivo que podemos retirar, uma lição que podemos aprender, ou algo novo que podemos experenciar. 
Ver a vida como um "copo meio cheio" ajuda a tornar os momentos menos bons mais suaves e menos importantes. E claro,também ajuda ter uma taça desta mousse deliciosa ao lado do sofá. Prometo, faz milagres!




Apesar de já vir atrasada para o S.Martinho, porque sem computador é difícil trabalhar, esta receita pode ser feita durante toda a época das castanhas. E por favor, se gosta de castanhas não deixe de a experimentar.
Começamos por preparar um puré de castanhas, adoçado com tâmaras, ao qual juntamos a minha base preferida para mousses sem ovos e sem lácteos: o tofu sedoso.
O resultado é uma mousse cremosa, com um sabor fantástico a castanhas, rica em proteínas e uma percentagem baixíssima de gordura.
Para adoçar a mousse pode escolher o adoçante que mais gostar: açúcar de coco, stevia, xilitol, geleia de arroz. Já fiz com stevia e xilitol e qualquer uma das opões ficou maravilhosa.
Se quiser também pode utilizar o creme de castanhas para outras receitas ou simplesmente barrar em tostas ou comer directamente do frasco. É uma delícia por si só.
Mousse de castanhas
(rende 3-4 taças)

Para o puré de castanhas
300g de castanhas pesadas apenas com a casca fina castanha
50g de tâmaras ao natural (pesadas sem caroço)
1 colher de chá de aroma de baunilha
1 pitada de sal
0,5L de água

Comece por escaldar as castanhas durante uns minutos num pouco de água a ferver, para lhes retirar a película castanha. Assim a pele sairá com facilidade.
Corte as castanhas em bocados e leve-as a cozer em 0,5L de água juntamente com as tâmaras, a baunilha e o sal.
Coza em lume brando até praticamente toda a água ter evaporado. Passe com a varinha mágica até obter um puré cremoso, ou então para um resultado ainda melhor, coloque na picadora.
Pode guardar o puré num frasco no frigorífico, ou se preferir utilize-o para a mousse.

Para a mousse
300g do puré de castanhas
250g de tofu aveludado bem escorrido
stevia, xilitol ou açúcar de coco a gosto

Para decorar:
canela em pó
raspas de chocolate
amêndoa picada
...

Escorra bem o tofu sedoso, de preferência num passador de rede durante 15 minutos.
Coloque o tofu e o creme de castanhas no robot de cozinha ou na picadora e pique tudo até obter uma consistência cremosa.
Adoce a gosto (eu usei 3 colheres de chá de stevia). Volte a picar tudo.
Coloque em tacinhas, decore a gosto e leve ao frigorífico.


6 de novembro de 2016

Caril de abóbora e espinafres (vegan, sem glúten). Pumpkin and spinach curry

{scroll down for english version}

Com a chegada do frio e sobretudo da chuva, o "monstro do caril" que existe dentro de mim  volta a acordar.
Já tenho normalmente uma tendência natural para escolher pratos com especiarias, mas esta vontade aumenta significativamente nas estações frias. O corpo pede comida que aqueça, que nutra, que nos faça sentir aconchegados e reforçados para enfrentar o Outono e o Inverno.
E os caris são sem dúvida a minha comida de eleição para esse efeito.
Para muitos, experimentar um caril é uma aventura. Há um certo medo de que seja demasiado picante, que tenha sabores "estranhos" , que seja indigesto, que tenha muita gordura e muitas natas... mas há tantas maneiras de fazer caril que duvido que não haja uma que se adapte a cada um de nós.
Eu pessoalmente acho que não há necessidade do caril ser muito picante, ao ponto de abafar todos os outros sabores. Também acho que não precisa ser sempre feito com natas, especialmente de vaca. É certo que os torna mais ricos, mais suaves, mas às vezes consegue ser bastante enjoativo.
Há outras formas de fazer caril, mais simples, mais saudáveis, sem serem picantes, e ainda assim ficam deliciosos.

Este caril de abóbora é um desses casos. É um caril por excelência desta altura do ano, onde a abóbora é perfumada com uma mistura muito básica de especiarias e se consegue uma textura naturalmente cremosa sem a necessidade de acrescentar natas ou leite de coco.
É um prato muito reconfortante, que aquece a alma e o corpo. É perfeito servido com arroz basmati, mas quem não quer abusar dos hidratos de carbono pode servir com  "arroz fingido" de couve flor (veja aqui como fazer).

Caril de abóbora e espinafres

700g de abóbora manteiga
150g de folhas de espinafres
2 colheres de sopa de azeite ou óleo de coco
2 cebolas médias ou 1 grande, picadas
2 dentes de alho, picados
2 colheres de chá de gengibre fresco ralado
2 colheres de chá de sementes de mostarda
2 colheres de chá de coentros em pó
2 colheres de chá de cominhos em pó
2 colheres de chá de açafrão das índias (curcuma) em pó
água ou caldo de legumes (cerca de 300ml)
sal q.b.
pimenta q.b.
coentros picados para decorar
cajus ou amêndoas picados para decorar (opcional)

Corte a abóbora em pequenos quadrados.
Lave as folhas de espinafres e reserve.
Numa wok ou numa frigideira grande salteie ligeiramente a cebola picada e o alho.
Junte as especiarias e deixe cozinhar durante 2 minutos.
Acrescente os quadrados de abóbora, a água e o sal.
Quando começar a ferver, tape e deixe cozinhar durante cerca de 20 minutos até a abóbora estar cozida.
Acrescente as folhas de espinafres e tempere com pimenta moída.
Deixe cozinhar mais um pouco. Se tiver ainda muita água na wok cozinhe até evaporar.
Verifique se precisa de mais sal ou especiarias.
Guarneça com coentros e cajus ou amêndoas picados.


Recipe in English
700g pumpkin, cubed
150g spinach
2 tablespoons neutral oil or coconut oil
2 medium onions or 1 large, chopped
2 garlic cloves, minced
2 teaspoons grated ginger
2 teaspoons mustard seeds
2 teaspoons coriander powder
2 teaspoons cumin
2 teaspoons turmeric powder
1 1/4 cup water or vegetable broth, plus more as needed
Salt and pepper, to taste
Chopped coriander, to decorate
Chopped cashews or almonds, for topping (optional)

Cut the pumpkin into small cubes. Wash the spinach and set it aside.
In a wok or large sauté pan, cook the chopped onion and garlic for a few minutes. Add the spices and cook for 2 minutes. Add the pumpkin squares, water, and salt.
When it starts to boil, cover and cook for about 20 minutes, until the pumpkin is fork-tender
Add the spinach leaves and season with ground pepper.
Cook a little longer. If you still have plenty of water in your wok, cool until it evaporates. Taste to see if you want to add additional spices, salt, and pepper.
Garnish with coriander and cashews or chopped almonds.

23 de outubro de 2016

Bolinhas de aveia e cenoura (vegan, sem açúcar, sem glúten). Carrot granola balls (vegan, gluten and sugar free)

{scroll down for english version}
Estamos a entrar numa época do ano que não me deixa nada confortável.
Os dias mais pequenos, a humidade no ar que eu automaticamente sinto no corpo, o frio matinal, as primeiras chuvas...
Vejo a chegada do Outono com alguma tristeza, chegou a altura de me despedir das temperaturas quentes e já começo a antecipar o frio e a chuva que aí vêm.
Todos os  anos demoro algum tempo a habituar-me a esta mudança, e há dias em que se pudesse voava para Sul como as aves!
Mas o Outono também tem coisas boas. As cores das folhas nas árvores, a fruta desta época, a sensação de conforto ao chegar a casa, as comidas reconfortantes, e sobretudo, os cheiros! Os cheiros que associo ao Outono enchem-me a alma. As primeiras castanhas a assar nas ruas, canela, cravinho, o cheiro de um chá quente pela casa, o cheiro a terra molhada depois de uma chuvada...
Por isso me apaixonei logo por estas bolinhas de cenoura e aveia. O cheiro maravilhoso que emanam enquanto cozinham, fizeram delas o meu snack de Outono.




Cheias de ingredientes completos, que nos nutrem e nos confortam. São óptimas para levar para o lanche, para petiscar entre refeições, ou para um pequeno almoço a correr.
São o tipo de receita perfeita para fazer com as crianças numa tarde de fim de semana, agora que os dias estão a ficar frios e chuvosos. Eles adoram fazer as bolinhas e depois levá-las na lancheira para a escola.
     


Bolinhas de aveia e cenoura
(rende 12-18 bolinhas)

70g de cenouras raladas ( cerca de 2 cenouras)
150g de flocos de aveia grossos *
70g de bananas esmagadas
100g de puré de maçã sem açúcar (de compra ou caseiro)
50g de manteiga de amêndoa ou de amendoim
30g de coco ralado
40g de nozes ou amêndoas picadas
30g de geleia de agave ou de arroz
2 colheres de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de soda
1 pitada de sal fino

Ligue o forno a 180ºC.
Prepare um tabuleiro com papel vegetal.
Numa tigela misture todos os ingredientes, deixando os flocos de aveia para o fim. Junte-os aos restantes ingredientes e envolva tudo muito bem.
Com as mãos faça pequenas bolinhas e coloque-as no tabuleiro.
Leve ao forno durante 20 a 30 minutos, até as bolinhas começarem a dourar.
Retire, deixe arrefecer numa rede.
Guarda num recipiente fechado.

* Se necessário verifique se contêm glúten.



Recipe in English

Carrot granola balls

70g of grated carrots ( about 2 carrots)
150g of rolled oats
70g of bananas, mashed
100g od sugar free applesauce
50g of almond or peanut butter
30g of shredded coconut
40g of almonds or walnuts, chopped
30g of agave nectar or brown rice syrup
2 tsp of ground cinnamon
1/2 tsp of baking soda
1 pinch of salt

Preheat oven to 180ºC. Line a baking sheet with parchment paper.
In a large bowl, whisk together the carrots, mashed banana, applesauce, ground flaxseed, nut butter, and maple syrup. Stir in the oats, coconut, raisins, cinnamon, baking soda, and salt. Stir to combine thoroughly.
Use your hands to form balls with the dough. Place them on the baking sheet.
Bake for 20 minutes, or until deeply golden brown. Let cool and store in an airtight container.

9 de outubro de 2016

Puré de millet (vegan, sem glúten) . Millet mash (vegan, gluten free)

{scroll down for english version}

Não sou uma fã de batatas, como aliás se vê pela sua ausência no blog. Sinceramente não me dizem nada, nem fritas, nem cozidas, mal a mal no forno. Tenho-as sempre no cesto da cozinha, mas raras são aquelas que não acabam por grelar, ou pior ainda, apodrecem, deixando pela casa um dos piores cheiros que já senti!
Esta é mais uma daquelas receitas que não entendo porque não a partilhei mais cedo, acho que por se ter tornado tão habitual acabei por não lhe dar a devida importância.
Aprendia-a há muito tempo, enquanto andava a estudar, na disciplina de Macrobiótica. A ideia de fazer um puré cremoso sem recorrer às batatas pareceu-me genial, e desde então tornou-se o "meu" puré.
Ao longo do tempo fui adaptando a receita original ao nosso gosto, mas a sua essência está lá. Millet e couve flor cozidos e passados até ficarem num puré cremoso e aveludado. Se tem o mesmo sabor que o de batata? Como é óbvio não, mas é bastante semelhante. Arrisco até a dizer que se bem temperado, os mais distraídos comem e nem dão conta que não é o convencional.



É uma excelente alternativa ao puré de batata tanto como acompanhamento, como para usar num empadão.
É bem mais leve e fácil de digerir, além de ser menos calórico e mais rico em proteínas, vitaminas e minerais. Ah, e também é bem mais rápido de fazer, e fica muito bom no dia seguinte, ao contrário do original!
Já falei diversas vezes no millet aqui no blog, mas mais uma vez reforço que é um cereal óptimo para o estômago, fácil de digerir, sem glúten e que até os bebés podem consumir. Se quiser ter mais informações sobre o millet e como cozinhá-lo, veja este post.

Puré de millet
(para 2 a 3 pessoas)

1 chávena de chá de millet
1 e 1/2 chávena de chá de couve flor partida em floriculos
1 cebola média partida
2 dentes de alho
2 colheres de sopa de azeite
3 chávenas de chá de água
2 a 3 colheres de sopa de leite de arroz ou outro que prefira
sal a gosto
pimenta a gosto
noz moscada a gosto

Lave o millet e coloque-o numa panela com a cebola, a couve flor, sal e a água. Leve tudo a cozer, e quando começar a ferver reduza o lume ao mínimo e tape. Deixe cozinhar durante 20-30 minutos até o millet e os legumes estarem cozinhados e macios. Acrescente o azeite.
Passe tudo com a varinha mágica ou com o robot de cozinha até obter um puré suave e cremoso. Acrescente 2 a 3 colheres de sopa de leite , tempere com pimenta e noz moscada e retifique o sal.
Volte a passar tudo de novo.
Sirva de imediato.

Millet mash
(serves 2-3)

1 cup of millet
1 e 1/2 cup of cauliflower cut into florets
1 medium onion, chooped
2 garlic cloves
2 tablespoons of olive oil
3 cups of water
2 to 3 tablespoons of rice milk or other you prefer
salt to taste
pepper to tasre
nutmeg to taste

Wash and drain the millet, then put it in a saucepan. Add the water, cauliflower, onion, and salt.
Bring to a boil and reduce the heat to the lowest simmer. Cover and cook for 20-30 minutes, until millet and vegetables are cooked.
Use an hand blender for the smoothest puree, but a food processor will work. Purée until the mixture is as smooth as you can get it. Add olive oil.
Season with pepper, nutmeg and if you want add 2-3 tablespoons of vegetable milk.
Blend again.
Serve.

25 de setembro de 2016

Crackers de linhaça (vegan, sem glúten, sem açúcar). Flax seed crackers (vegan, Gluten and sugar free)

{scroll down for english version}

Não sei quanto a vocês, mas eu adoro comida seca e crocante. Tanto faz que seja fruta desidratada, granola, ou crackers, é o meu tipo de comida preferido. ´
É boa para transportar, é boa para petiscar, não suja a roupa nem as mãos  e ajuda muito a saciar aquela vontade de "dar ao dente".
E já nem comento o maravilhoso que é ouvir aquele "crunch crunch" de cada vez que damos uma dentada...


Infelizmente, a maioria das vezes que nos apetece este tipo de alimentos recorremos ao mais fácil: as bolachas ou os snacks de compra. São fáceis de obter, estão sempre disponíveis e são perigosamente aditivos. Por isso gosto tanto de fazer as minhas próprias crackers ou tostas. Posso escolher os ingredientes, fazê-las com mais fibra, com mais ou menos hidratos de carbono, com ou sem sementes, doces ou salgadas...


Depois do sucesso das crackers de aveia, que para minha surpresa se tornou uma das receitas mais lidas do blog , trago uma receita de crackers feitas apenas com farinha de linhaça. Sim, é verdade, basta moer as sementes de linhaça ate estarem em farinha, juntar agua e um pouco de sal e levar ao forno. 
São as crackers ideais para quem não pode ou não quer consumir cereais porque só levam sementes. Assim, são isentas de glúten e a quantidade de hidratos de carbono é mínima, o que também as torna muito interessantes para quem quer perder algum peso e não abdica das tostas.

As  variações da receita base são infinitas: pode fazer com ervas e alho, com caril, com cominhos, com canela, com stevia....a escolha é muita e adaptável ao gosto de cada um.  Já experimentei várias versões com linhaça dourada e castanha. Pessoalmente gosto mais com linhaça dourada, mas se preferir a castanha não faz qualquer diferença.  O único truque nesta receita é mesmo esticar a massa o mais fino possível e no forno ir retirando as das pontas primeiro e deixar para último as do centro do tabuleiro, assim ficam mais crocantes.


Crackers de linhaça
Receita base:
200g de farinha de linhaça (pode ser dourada ou castanha)
100-150 ml de água
1/2 colher de chá de sal fino

Versão com ervas e alho:
1 colher de chá de ervas da provence
1 colher de chá de alho em pó

Versão Canela:
1 colher de sopa de canela em pó
1 colher de chá de stevia em pó (opcional)

Ligue o forno a 180ºC.
Numa tigela misture a farinha de linhaça com o sal e caso junte ervas, ou alho ou canela, junte também. Misture tudo.
Comece por juntar 100ml de água, mexa com a colher de pau e vá juntando mais água aos pouquinhos se achar necessário. A massa deve ficar fácil de estender, nem demasiado mole nem demasiado seca.
Deixe repousar 10 minutos.
Coloque a massa entre 2 folhas de papel vegetal grandes, e com o rolo da massa estende-a até estar bastante fininha, quanto mais fina, mais crocantes serão as crackers.
Retire com cuidado o papel de cima e coloque o de baixo (juntamente com a massa) num tabuleiro grande. Faça cortes na massa em forma de quadrado ou rectângulo.
Leve ao forno durante 30-40 minutos.
Naturalmente as crackers das pontas ficarão prontas mais rapidamente, retire-as e leve de novo o tabuleiro ao forno até as do centro estarem estaladiças.
Deixe arrefecer e guarde num recipiente bem fechado.
Recipe in English

Flax seed crackers

Base Recipe

200g ground flax seed (you can buy it pre-ground or grind whole seeds in a coffee grinder) 
100-150ml of water
1/2 teaspoon of fine salt

Garlic and herbs version:
1 teaspoon os garlic powder
1 teaspoon of herbs of Provence

Cinnamon version:
1 tablespoon of cinnamon powder
1 teaspoon of stevia (optional)

Preheat oven to 200ºC.
In a large bowl, combine all dry ingredients (including cinnamon, or garlic, or other seasonings you prefer).  Add water, starting with 100 ml and mix until an even dough forms. If necessary add more water.
Spread the dough between 2 parchment paper sheets and with a rolling pin roll until your dough is super thin. Remove the upper sheet and place dough in a baking tray.
Gently cut dough into squares on the baking sheet
Bake for 30-40 minutes until crisp and edges are browned but not burnt.
Edges of course will be ready first, so remove them from the oven and bake again until the center crackers are ready.
Remove from the oven, let cool and keep in an airtight container.


6 de setembro de 2016

Brownies de figo (sem açúcar, sem glúten). Fig brownies (sugar and gluten free)

{scroll down for english version}

Há já muito tempo que não tinha uma sensação de "verdadeiro " Verão. Daqueles que nos fazem pensar em praia, em banhos de rio ou até mesmo em banhos de mangueira!
Daqueles que me lembro quando era miúda e, numa época ainda sem computadores, tablets ou telemóveis, ficava em casa até a hora do calor passar, a brincar com bonecos num alguidar cheio de água ou então ia para a pequena biblioteca municipal e lá ficava até ser suportável vir para a rua brincar.

Aqueles Verões em que todos sem excepção, vinham à noite para a rua brincar, conversar, ou jogar às cartas, porque não haviam ares condicionados e o calor era muito dentro de casa.
São Verões de outros tempos, que me trazem boas memórias. Já muito se perdeu, já muito mudou, eu mudei, mas há coisas que nunca mudam, e a minha paixão por figos é uma delas!
São uma fruta com sabor a Verão, daqueles Verões bem quentes como este, em que as figueiras se enchem destas pequenas pérolas. Apanhar figos e comê-los ainda em cima da figueira...não há sensação melhor!


Por isso se é como eu e adora figos, e também adora chocolate, vai adorar esta receita.
Chamei-lhe brownies , mas também podia chamar bolo ou quadradinhos, depende da vontade no dia, fica linda e deliciosa de qualquer maneira.
Cada bocadinho desfaz-se na boca com delicadeza, o sabor é viciante e confesso que bastante difícil de parar de comer.
É uma receita sem glúten, mas pode também utilizar farinha de trigo, e o mais surpreendente é que basta o doce natural dos figos frescos para adoçar, embora os mais gulosos possam adicionar um pouco de stevia ou geleia de arroz. O único senão desta receita? Rende pouco, por isso faço-a normalmente a dobrar!
Se tem figos em casa  não deixe de experimentar, de preferência rapidamente, para não deixar passar a sua época!

Brownies de figo

200g de figos frescos
150g de chocolate 70%cacau
50g de manteiga de amêndoa ou de amendoim
2 ovos
45g de farinha integral (eu usei de trigo sarraceno, mas pode usar outra)
1 colher de chá de extracto de baunilha
amêndoa picada q.b. (opcional)

Para decorar:
rodelas de figo

Corte o pezinho aos figos e lave-os. Seque-os bem com um pano.Não retire a pele.
Corte-os em pequenos pedaços e leve ao lume brando, mexendo sempre, até que toda a água presente nos figos tenha evaporado. Nesta altura, retire do lume e passe com a varinha mágica até obter uma espécie de compota. Deixe arrefecer e reserve.
Aqueça o forno a 150ºC.
Forre com papel vegetal um tabuleiro pequeno ou uma forma redonda com cerca de 15cm de diâmetro.
Numa tigela bata muito bem os ovos até estarem aumentados de volume e bem fofos.
Incorpore suavemente a farinha com a vara de arames.
Leve a derreter em banho-maria o chocolate partido em pedaços e a manteiga de amêndoa ou amendoim. Mexa até estarem bem derretidos e misturados.
Retire do lume e junte ao preparado dos ovos e misture tudo muito bem.
Junte o puré dos figos.Se quiser acrescente amêndoa picada e volte a mexer.
Coloque no tabuleiro, decore com rodelas de figos e leve ao lume durante 20 minutos.
Retire, deixe arrefecer e desenforme.
Pode levar ao frigorífico e retirar 15 minutos antes de servir, ou comer à temperatura ambiente.


Recipe in English

Fig brownies

200g fresh figs
150g of chocolate 70% cocoa
50g almond butter or peanut butter
2 eggs
45g wholemeal flour (wheat, rice, buckwheat...)
1 teaspoon vanilla extract 
chopped almond  (Optional)

To decorate 
fig slices

Wash the figs and cut the edges. Dry with a towel Don't remove the peel.
Cut them into small pieces and cook in a saucepan in low heat, stirring constantly, until all water has evaporated. At this point, remove from the heat and with a magic wand do a pureé. Let cool and set aside.
Heat oven to 150 ° C.
Line with parchment paper a small tray. 
In a  bowl beat the eggs until they  increased the volume.
Gently incorporate the flour with a wire rod.
In a bain-marie melt  the chocolate with peanut or almond butter. Stir until well mixed and melted.
Remove from the heat and mix with thebeated eggs.
Add the fig puree. If you want add chopped almonds. Mix again.
Place in the tray, garnish with slices of figs and bring to oven for 20 minutes.
Remove, let cool and unmold.
Keep it in the refrigerator and remove 15 minutes before serving.





22 de agosto de 2016

Muffins vegan de courgete. Vegan zucchini muffins

{scroll down for english version}

Nunca fui uma pessoa muito ligada às  redes sociais. De facto chega a ser embaraçosa a minha falta de experiência, de conhecimento e até de interesse sobre o tema. Para alguém da minha faixa etária isto é algo quase impossível, já que  hoje tudo parece acontecer através do Facebook, do Instagram, do Snapchat e de mais não sei o quê (eu disse que não percebia do assunto...).
Só criei Facebook há relativamente pouco tempo e foi por causa do blog. De facto, já o blog tinha quase dois anos quando finalmente me rendi e aceitei fazer-lhe uma página ( que vergonha...).


Não tenho nada contra isto, só que talvez pela minha personalidade mais reservada, pelo meu trabalho tão absorvente e próximo das pessoas, acabei por não me envolver muito neste mundo. 
E para não abonar nada  a favor, neste momento estou bastante decepcionada com o Facebook. Reparei que de há uns meses para cá não recebo as publicações das páginas que sigo, e o mesmo acontece com a minha, que parece não chegar a uma boa parte das pessoas, inclusive família! Não sei se mais alguém se queixa do mesmo, mas parece ser um problema transversal a muitos utilizadores. Os senhores do Facebook preferem não se dar ao trabalho de responder e resolver esta situação e parece que a única alternativa é pagar para aparecer (que conveniente...).  Por isso caso não receba as minhas publicações não significa que desapareci e deixei de publicar, significa que fui uma das infelizes a quem calhou a fava do bolo e que provavelmente terá mesmo que pagar se quer que as suas publicações  sejam vistas...

Mas não só notícias menos boas: por favor lancem-se confettis, balões e serpentinas porque finalmente criei uma conta no Instagram! Agora também já podem seguir aqui o Nem acredito que é saudável e ver as novidades que provavelmente não viram pelo Facebook.
Como leiga no tema das redes sociais que sou, ainda me estou a habituar à coisa e a perceber como funciona, por isso não estranhem as poucas publicações.

E agora, redes sociais à parte, falemos de muffins. Daqueles tão fofos, tão bons, feitos com as minhas adoradas courgetes, tão típicas desta época do ano.
Mal vejo as primeiras a aparecer lá por casa, começo logo a pensar em mil maneiras diferentes de as usar, até porque normalmente há uma tendência a ficarmos com o frigorífico cheio de courgetes nesta altura do ano.
Esta receita é uma vencedora, bem leve, deliciosa e a prova que não precisamos de ovos para fazer muffins irresistíveis. Se quiser pode não usar o chocolate partido, mas courgete e chocolate são amigos inseparáveis, ninguém lhes resiste quando estão juntos!


Muffins vegan de courgete
(rende 6-8 muffins)

190g de farinha de espelta integral
1/2 colher de chá de bicarbonato de soda
1 pitada de sal
50g de açúcar de coco
80g de chocolate 70% cacau picado (opcional)
160g de puré de maçã sem açúcar (caseiro ou de compra)
1 colher de chá de vinagre de sidra ou sumo de limão
120g de courgete ralada
1 colher de chá de aroma de baunilha
70 ml óleo de coco liquido

Ligue o forno a 180ºC.
Prepare um tabuleiro com formas de papel.
Numa tigela misture os ingredientes secos: a farinha, o bicarbonato, o açúcar de coco, o sal e o chocolate se o desejar.
Noutra tigela misture a courgette, o puré de maçã, o óleo de coco, a baunilha e o vinagre.
Junte o conteúdo das duas tigelas e misture muito bem.
Coloque a massa nas formas de papel e leve ao forno cerca de 20 minutos, até os muffins estarem cozidos por dentro.
Retire e deixe arrefecer no tabuleiro antes de os retirar.
Recipe in English

Vegan zucchini muffins
(yelds 6-8 muffins)

190g spelt flour
1/2 tsp baking soda
3/4 tsp salt
50g coconut sugar
1/2 cup 70% cocoa chocolate chips (optional)
160g sugar free applesauce 
1/3 cup coconut oil
1 tsp cider vinegar 
1 tsp pure vanilla extract 
120g grated zucchini

Preheat oven to 180C and prepare a muffin tin. Combine all dry ingredients in a mixing bowl, then set aside. In another bowl, combine all liquid ingredients. Mix wet into dry, and distribue it into the baking cups and place in the oven. Bake for 20 minutes, then allow muffins to cool before removing from the tray.


LinkWithin

”related