22 de agosto de 2016

Muffins vegan de courgete. Vegan zucchini muffins

{scroll down for english version}

Nunca fui uma pessoa muito ligada às  redes sociais. De facto chega a ser embaraçosa a minha falta de experiência, de conhecimento e até de interesse sobre o tema. Para alguém da minha faixa etária isto é algo quase impossível, já que  hoje tudo parece acontecer através do Facebook, do Instagram, do Snapchat e de mais não sei o quê (eu disse que não percebia do assunto...).
Só criei Facebook há relativamente pouco tempo e foi por causa do blog. De facto, já o blog tinha quase dois anos quando finalmente me rendi e aceitei fazer-lhe uma página ( que vergonha...).


Não tenho nada contra isto, só que talvez pela minha personalidade mais reservada, pelo meu trabalho tão absorvente e próximo das pessoas, acabei por não me envolver muito neste mundo. 
E para não abonar nada  a favor, neste momento estou bastante decepcionada com o Facebook. Reparei que de há uns meses para cá não recebo as publicações das páginas que sigo, e o mesmo acontece com a minha, que parece não chegar a uma boa parte das pessoas, inclusive família! Não sei se mais alguém se queixa do mesmo, mas parece ser um problema transversal a muitos utilizadores. Os senhores do Facebook preferem não se dar ao trabalho de responder e resolver esta situação e parece que a única alternativa é pagar para aparecer (que conveniente...).  Por isso caso não receba as minhas publicações não significa que desapareci e deixei de publicar, significa que fui uma das infelizes a quem calhou a fava do bolo e que provavelmente terá mesmo que pagar se quer que as suas publicações  sejam vistas...

Mas não só notícias menos boas: por favor lancem-se confettis, balões e serpentinas porque finalmente criei uma conta no Instagram! Agora também já podem seguir aqui o Nem acredito que é saudável e ver as novidades que provavelmente não viram pelo Facebook.
Como leiga no tema das redes sociais que sou, ainda me estou a habituar à coisa e a perceber como funciona, por isso não estranhem as poucas publicações.

E agora, redes sociais à parte, falemos de muffins. Daqueles tão fofos, tão bons, feitos com as minhas adoradas courgetes, tão típicas desta época do ano.
Mal vejo as primeiras a aparecer lá por casa, começo logo a pensar em mil maneiras diferentes de as usar, até porque normalmente há uma tendência a ficarmos com o frigorífico cheio de courgetes nesta altura do ano.
Esta receita é uma vencedora, bem leve, deliciosa e a prova que não precisamos de ovos para fazer muffins irresistíveis. Se quiser pode não usar o chocolate partido, mas courgete e chocolate são amigos inseparáveis, ninguém lhes resiste quando estão juntos!


Muffins vegan de courgete
(rende 6-8 muffins)

190g de farinha de espelta integral
1/2 colher de chá de bicarbonato de soda
1 pitada de sal
50g de açúcar de coco
80g de chocolate 70% cacau picado (opcional)
160g de puré de maçã sem açúcar (caseiro ou de compra)
1 colher de chá de vinagre de sidra ou sumo de limão
120g de courgete ralada
1 colher de chá de aroma de baunilha
óleo de coco liquido

Ligue o forno a 180ºC.
Prepare um tabuleiro com formas de papel.
Numa tigela misture os ingredientes secos: a farinha, o bicarbonato, o açúcar de coco, o sal e o chocolate se o desejar.
Noutra tigela misture o puré de maçã, o óleo de coco, a baunilha e o vinagre.
Junte o conteúdo das duas tigelas e misture muito bem.
Coloque a massa nas formas de papel e leve ao forno cerca de 20 minutos, até os muffins estarem cozidos por dentro.
Retire e deixe arrefecer no tabuleiro antes de os retirar.
Recipe in English

Vegan zucchini muffins
(yelds 6-8 muffins)

190g spelt flour
1/2 tsp baking soda
3/4 tsp salt
50g coconut sugar
1/2 cup 70% cocoa chocolate chips (optional)
160g sugar free applesauce 
1/3 cup coconut oil
1 tsp cider vinegar 
1 tsp pure vanilla extract 
120g grated zucchini

Preheat oven to 180C and prepare a muffin tin. Combine all dry ingredients in a mixing bowl, then set aside. In another bowl, combine all liquid ingredients. Mix wet into dry, and distribue it into the baking cups and place in the oven. Bake for 20 minutes, then allow muffins to cool before removing from the tray.


4 de agosto de 2016

Banana desidratada sem açúcar. Sugar free banana chips

{scroll down for english version}

Quando andava a escrever o livro do Nem acredito que é saudável, apercebi-me de uma falha no mercado que não entendo como ainda não foi preenchida. 
Estava com uma receita de granola às voltas na cabeça que não levasse cereais, e sabia que a combinação de coco e banana seria infalível, mas encontrar a banana desidratada sem açúcar tornou-se um desafio. Talvez não tenha procurado nos sítios certos, não quero acreditar que não exista cá em Portugal, mas resolvi facilmente o problema porque normalmente desidrato as minhas bananas.
No entanto ao que parece não sou a única que tem tido dificuldade em encontrar as tais rodelinhas de banana sem açúcar. Tenho recebido vários e-mails a perguntar onde podem encontrá-las para poderem fazer a granola de coco e banana (uma maravilha, já agora ).
Há várias marcas no mercado que as vendem, mas quando viramos o pacote lá está o indesejado açúcar na composição.
É verdade que ficam lindas, super estaladiças, gulosas, mas por favor, a banana já é doce, não precisamos de mais açúcar!

Faço normalmente a fruta desidratada no desidratador, mas a verdade é que a grande maioria das pessoas não tem um. Não é obviamente impedimento para desidratar a própria fruta,  podemos sempre usar o forno. Por isso, como resposta a vários pedidos, hoje trago a receita para fazer as suas rodelas de banana desidratada no forno.




Não se desiluda por não ficarem tão lindas e tão estaladiças como as de compra, é normal. Não temos em casa os recursos da indústria alimentar, mas por outro lado ficamos com rodelas de banana naturalmente deliciosa e sem açúcar adicionado.
Além disso pode divertir-se e adicionar outros sabores às suas rodelas de banana: canela em pó, sal marinho, cacau...
Pode usar as suas rodelas para  fazer granolas, pôr no iogurte, levar em saquinhos para petiscar durante o dia ou simplesmente sentar-se no sofá e comê-las enquanto vê televisão (adoro!).
Banana desidratada sem açúcar
(para 2 tabuleiros)

4 bananas maduras mas sem estarem moles
sumo de meio limão
água

Ligue o forno a 90ºC.
Prepare 2 tabuleiros com papel vegetal.
Coloque o sumo de limão com um pouco de água numa tigela.
Corte a banana em rodelas bem finas, de preferência com a mandolina. Quanto mais finas forem as rodelas mais crocantes ficam. Passe-as pela água com sumo de limão e coloque-as lado a lado no tabuleiro.
Se quiser polvilhe com canela, cacau, sal....
Leve ao forno durante cerca de 1h30m e depois vire as rodelas. Leve de novo ao forno durante mais 1h30m.
As rodelas estão prontas quando estiverem bem secas. Não as deixe tostar.
Quando estiverem frias, retire do tabuleiro e guarde em frascos.

Recipe in English

Sugar free banana chips

4 bananas, just ripe
some lemon juice
water
optional toppings: cinnamon, sea salt, cocoa powder...

Preheat oven to 90ºC.
Cover 2 baking trays with parchment paper.
Cut bananas into very thin slices, thinner slices will dry easier and will be cryspier.
Dip slices in lemon juice, then place on prepared baking tray.
Bake for about 1h30m and then flip them over. Bake for more 1h30m.
Banana chips should be dry and crispy.
Remove from the oven, and once cool, chips can be stored in an airtight container.

24 de julho de 2016

Workshop de sobremesas saudáveis


Vem aí mais um workshop de sobremesas e doces saudáveis, desta vez em Santarém na linda Mercearia Biológica BIO-Jasmim.
Vão ser duas horas de partilha, cozinha e degustação!
Venham ver como é tão fácil fazer receitas doces, deliciosas e ainda assim saudáveis e equilibradas.
Não percam!



Para inscrições e reservas:
biojasmim@hotmail.com
                 ou
nemacreditoblog@gmail.com



21 de julho de 2016

Clafoutis de alperce e amêndoa (sem açúcar, sem glúten). Almond and apricot clafoutis (sugar and gluten free)

{scroll down for english version}

Se há coisa boa no Verão, para além deste calor que adoro (perdoem-me os que fogem dele), é a fruta. 
A Mãe Natureza é sábia, e deu-nos para esta altura do ano fruta linda, colorida cheia de água, vitaminas e minerais que nos hidratam e remineralizam para fazer face ao tempo quente.

Mas este ano tenho estado um bocadinho queixosa  com a fruta de Verão. Ou a minha sorte não é muita, ou realmente aquela fruta suculenta, docinha, que não conseguimos parar de comer, tem estado a demorar a chegar.Tenho a sensação que os pêssegos estão ácidos e rijos, as ameixas também, as cerejas não me satisfizeram e os damascos e alperces também não estavam no ponto.

Mas foi num passeio de Sábado de manhã, a um dos lugares que já se tornou uma espécie de ritual que fazemos de tempos a tempos, apesar da distância, que eu encontrei os alperces que tanto procurava.
A Praça da Fruta das Caldas da Rainha nunca me deixa ficar mal! Vale a pena o tempo de viagem, não só pelo passeio no parque, pelas ruas, pelo lindo edifício do Hospital Termal...mas sobretudo pela fruta, legumes, flores e frutos secos que lá podemos comprar.

Adoro aquela incrível mistura de cores, cheiros, a confusão boa dos mercados de rua, e é de coração cheio e cesta a abarrotar, que volto a casa com de vontade de cozinhar.
Olhando para uns alperces de cor intensa e muito docinhos (finalmente!), não resisto a ligar o forno e fazer um clafoutis. É uma sobremesa tão bonita, elegante e delicada que não transparece a simplicidade com que se faz.
Este é feito com uma combinação de alperce e amêndoa, uma daquelas que funcionam sempre bem, mas pode utilizar outras frutas.
Não tem açúcar refinado e a farinha branca foi substituída pela de amêndoas, tornando-o mais uma opção de sobremesa sem glúten.



Clafoutis de amêndoa e alperce
(serve 4 pessoas)

400ml de leite de amêndoa sem açúcar
40g de manteiga de amêndoa
3 ovos
100g de farinha de amêndoas (ou amêndoas moídas muito finamente)
120g de geleia de arroz
300 g de alperces
amêndoas laminadas qb para decorar
xilitol em pó qb para decorar (opcional)

Ligue o forno a 180ºC.
Unte um tabuleiro ou uma assadeira com óleo de coco ou margarina.
Retire o caroço aos damascos e corte-os em 4 partes.
Numa tigela misture o leite de amêndoa, a manteiga de amêndoa, a geleia, a farinha de amêndoas e os ovos. Bata tudo até ficar homogéneo.
Coloque no tabuleiro a mistura que preparou e por cima os alperces cortados em quartos.
Polvilhe com amêndoa laminada.
Leve ao forno durante 40-60 minutos até o clafoutis estar firme no meio.
Retire, deixe arrefecer e sirva morno ou frio.
Se quiser pode polvilhar com xilitol moído até ficar em pó.

Recipe in English

Almond Apricot clafoutis

400ml od almond milk
40g of almond butter
3 eggs
100g of almond meal
120g of brown rice syrup
300g of apricots
laminated almonds to decorate
powdered xylitol to decorate (opcional)

Turn on the oven at 180ºC.
Grease a baking dish with coconut oil or vegetable margerine.
Core apricots and cut them into four pieces.
In a large bowl, whisk together the almond milk, eggs, brown rice syrup, almond butter and almond meal until well combined.
Pour the batter over the apricots and sprinkle with laminated almonds.
Bake for 40-60 minutes until clafoutis is firm in the middle.
Remove, serve warm or cold.
If you want you can decorate with powdered xylitol.



11 de julho de 2016

Workshop de sobremesas saudáveis para o Verão



Workshop de sobremesas saudáveis para o Verão

16 Julho às 11h na Academia Time Out


Hoje não trago uma receita para partilhar, mas sim novidades boas!
No próximo Sábado dia 16 de Julho vou estar na Academia Time Out no Mercado da Ribeira a fazer um workshop deliciosamente saudável de sobremesas para o Verão.
Não percam! Vamos pôr as mãos na massa e experimentar ingredientes diferentes, fazer sobremesas frescas e deliciosas e que nos fazem sentir tão bem.

E para celebrar, estamos a sortear 2 bilhetes, vejam as regras do sorteio no Facebook do Nem acredito que é saudável!

Podem comprar os vossos bilhetes na Ticketline através deste link.

Ou reservar em : reservas@academiatimeout.pt


5 de julho de 2016

Pizza com base de millet/quinoa. Quinoa /millet pizza crust

{scroll down for english version}

Não conheço ninguém que não goste de pizza. Deve ser uma daquelas comidas transversais, que todos adoram, desde os mais pequenos aos mais velhos, aqui em Portugal ou na China. De facto há qualquer coisa de irresistível em trincar uma massa suave coberta de molho de tomate e queijinho derretido...
É versátil, prática e tanto sabe bem partilhada com um grupo de amigos ou família, ou sozinho sentado no sofá.
No entanto uma boa pizza não é fácil de encontrar e aquilo que até poderia ser uma refeição relativamente equilibrada, torna-se um terror quando verificamos a quantidade de açúcar, conservantes, melhorantes e gorduras que contem.


Mas se já é difícil encontrar uma pizza "normal"  com alguma qualidade, uma pizza sem glúten ou com menos hidratos de carbono é quase impossível. A não ser que as façamos em casa, e ai sim podemos controlar os ingredientes que usamos, a quantidade de  queijo que usamos (ou não), a receita do molho de tomate e fazer uma base à nossa vontade, com cereais integrais ou sem glúten ou até mesmo sem cereais!

Descobri esta receita por acaso e comecei por a experimentar com quinoa. Adorámos de imediato. Quem gosta de quinoa estará nas nuvens, e mesmo quem não conhece vai gostar e não vai estranhar a pizza.
Voltei a experimentar com millet e mais uma vez fiquei rendida.
É sem dúvida uma maneira deliciosa de fazer pizza. Sem glúten, fácil de digerir, muito proteica (se usar quinoa), fácil e rápida, sem ter que amassar ou esperar que fermente.
Se preferir uma pizza mais proteica e com menos hidratos de carbono, utilize quinoa, se quiser uma mais fácil de digerir e excelente para crianças, utilize millet. Quanto aos toppings, ficam ao seu critério: molho de tomate, molho pesto, com ou sem queijo, manjericão, cogumelos... tenha apenas em atenção que para fazer uma pizza mais saudável convém não utilizar queijos gordos e em grande quantidade e o molho de tomate deve ser caseiro.


Pizza com base de millet/quinoa
(para 1 pizza pequena)

150g de millet ou de quinoa
60 ml de água
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de sopa de azeite
1 pitada de sal

Para os toppings da pizza:
molho de tomate
queijo  (vegan ou não)
cogumelos
manjericão
azeitonas
....

Coloque o millet ou a quinoa de molho com o dobro da água no frigorífico durante pelo menos 8 horas.
Drene toda a água com um coador de rede fina e lave bem com água corrente (principalmente se usar quinoa). Deixe escorrer toda a água.
Ligue o forno a 190ºC.
Forre com papel vegetal uma forma redonda com 20cm de diâmetro.
Numa picadora ou no robot de cozinha, coloque o millet ou a quinoa e os 60 ml de água. Pique  durante alguns minutos até obter uma consistência de "papa". Se for necessário vá parando para raspar os bordos da taça da picadora. Junte o sal, o fermento e o azeite e volte a picar.
Coloque a massa na forma e alise com uma espátula.
Leve ao forno durante 10 a 15 minutos até estar consistente. Retire do forno, volte a massa ao contrário, remova o papel vegetal e leve de novo ao forno durante mais 10 minutos até estar ligeiramente dourada nos bordos.
Retire do forno e cubra a massa com os toppings que escolheu (molho tomate, queijo ralado, espargos, cogumelos...)
Leve de novo ao forno até os ingredientes estarem cozinhados. Sirva de imediato.

(receita adaptada daqui)
Recipe in English

Millet/Quinoa pizza crust
(for a small pizza)

150g of quinoa or millet
60ml of water
1/2 teaspoon of salt
1 tablespoon of olive oil
1 teaspoon of baking powder

Pizza toppings
tomato sauce
cheese
mushrooms
peas
....
Place the quinoa or millet in a small bowl and cover it with water. Let the quinoa soak for at least 8 hours. Drain and rinse the quinoa/millet. Place the quinoa/millet, 60ml of water, baking powder, olive oil and salt in a food processor. Process until a smooth batter is formed, scraping down the sides of the food processor as necessary. It should have a consistency of baby food.
Turn on the oven at 375ªF.
Line an 20cm round cake pan with parchment paper and then spray the parchment paper with cooking spray. Pour the batter into the pan and smooth with a spatula.
Bake the crust for 15 minutes. Remove the parchment paper from under the crust.
 Flip the crust over and return to the oven for 5-10 more minutes, or until golden and the edges are crispy.
Remove from the oven and the toppings of your choice. Return to the oven and bake for another 10 minutes, or until the ingredients are cooked.
Serve immediately.

(recipe adapted from here)

20 de junho de 2016

Gelado vegan de maçã. Vegan apple ice cream

{scroll down for english version}

Uma semana depois do livro de sobremesas e outros doces do Nem acredito que é saudável ter saído para o mercado, continua ainda na minha cabeça a sensação estranha que tudo está a acontecer noutra dimensão,
Recordo com carinho todo o processo até aqui, toda a azáfama, todo o entusiasmo e também todas as dúvidas.
Ainda é estranho  pensar que no domingo passado estar a cozinhar em plena feira do livro de Lisboa, que passo nas livrarias e ali está um livro, feito por mim... parece tudo ainda tão surreal!

Mas é ao mesmo tempo uma sensação tão boa, de realização, de entusiasmo e sobretudo de gratidão.
E para celebrar esta nova fase e sobretudo a chegada dos dias quentes (finalmente!) está filosoficamente aberta a temporada dos gelados caseiros! Fãs de gelados, esta altura do ano é sem dúvida a vossa preferida!
Por aqui preferimos os que são feitos em casa, sem ovos, sem lactose e sem açúcar. Faço várias combinações diferentes, com bases diferentes, com métodos diferentes e às vezes nem sei bem ao certo o que estou a fazer, limito-me a seguir a intuição.

Mas de todas as bases de gelado vegan que faço, esta é sem dúvida a minha preferida, ou pelo menos a  mais versátil. Combina bem com quase todos os sabores e é super cremosa, como um bom gelado deve ser. Além disso pode ser consumida por quase todos: vegans, intolerantes ao gluten e à lactose e por quem quer comer um gelado sem ficar com a sensação que comeu um pacote de açúcar.
Estreei-me este ano com um gelado de maçã, recheado com maçãs caramelizadas e salpicado aqui e ali com nozes crocantes. Absolutamente delicioso e viciante!

Gelado vegan de maçã
(serve 3 a 4 pessoas)

125 ml de leite de soja ou outro que prefira
200 ml de natas de soja
100g de puré de maçã sem açúcar (de compra ou feito em casa)
1 colher de sopa de farinha de araruta
125ml de geleia de arroz
1/2 colher de chá de aroma de baunilha

Para as maçãs caramelizadas:
2 maçãs pequenas ou 1 grande
1 colher de sopa de geleia de arroz ou de agave
1 colher de chá de canela em pó

Para decorar (opcional)
nozes picadas

Numa tigela dissolva a farinha de araruta num pouco de leite de soja.
Leve a geleia de arroz ao lume até começar a ferver e a formar bolhas.
Misture na geleia de arroz as natas de soja, o restante leite e o puré de maçã. Leve de novo ao lume brando mexendo sempre, até começar a ferver. Neste ponto retire do lume e junte a mistura da farinha de araruta. Vai começar a engrossar imediatamente. Acrescente o aroma de baunilha. Leve ao lume mais alguns segundos e retire de imediato. 
Deixe arrefecer e leve ao frigorífico durante 2 horas.
Entretanto prepare as maçãs caramelizadas.
Corte em pequenos quadradinhos as maçãs descascadas. Junte a geleia de arroz e a canela em pó e envolva tudo. Coloque numa frigideira anti aderente  e leve ao lume mexendo sempre até a maçã começar a ficar macia e caramelizada. Retire e envolva os pedacinhos de maçã no gelado preparado. Se quiser reserve algumas para decorar no momento de servir.
A partir daqui siga as instruções da sua máquina de fazer gelados. Caso não tenha máquina, leve ao congelador e retire passados 20 minutos, mexa com um garfo. Repita este processo várias vezes, para não criar cristais de gelo
No momento de servir decore com nozes picadas.
Recipe in English

Vegan apple ice cream
(serves 3 to 4)

For the ice cream:
100g of sugar free apple pureé
125 ml of agave nectar or brown rice ryrup
125ml of soy milk
200ml of soy cream
1/2 teaspoon of vanilla extract
1 tablespoon of arrowroot starch

Caramelized apples:
1 big apple cut into small squares
1 teaspoon of cinnamon powder
1 tablespoon of agave nectar or brown rice syrup


In a bowl, dissolve the arrowroot strach in 3 tablespoons of soymilk.
Bring brown rice syrup or agave nectar to boil and form bubbles .
Mix with the brown rice syrup, soy cream, the remain milk and apple pureé  Take again all the mixture to low heat stirring constantly ,until begins to boil. Remove from the heat and join arrowroot strach mix .It will begin to thicken immediately. Add vanilla extract. Bring to boil for a few seconds and remove.
Let cool and put in the  refrigerator for 2 hours.
Now prepare the caramelized apples. Combine apple squares, cinnamon powder and agave nectar in a skillet and cook until apples are tender and starting to caramelizeed. Mix in the ice cream mixture.
Put the mixture it into your ice cream maker. Freeze according to your manufacturer's instructions, then transfer it to your chilled container and freeze for several hours in the freezer.



LinkWithin

”related